Ação do MP-RS Busca Respostas e Indenizações Após Apagão em Porto Alegre

Após os graves problemas no fornecimento de energia elétrica decorrentes dos temporais ocorridos em Porto Alegre no dia 16 de janeiro, o Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP-RS) tomou uma medida contundente. Na tarde desta terça-feira (23), foi ajuizada uma ação coletiva de consumo contra a CEEE Equatorial e a Equatorial Energia. A ação busca ressarcimentos aos consumidores afetados, e as multas solicitadas chegam a pelo menos R$ 200 milhões. Vamos entender os detalhes dessa iniciativa do MP-RS.

Alertas Meteorológicos Ignorados: Ineficiência da CEEE Equatorial em Questão

O promotor de Justiça Luciano de Faria Brasil, autor da ação, ressaltou que a tempestade não foi um evento inesperado, pois diversos alertas meteorológicos foram emitidos nos dias anteriores. Mesmo com essa previsibilidade, a situação pós-temporal foi caótica, especialmente na capital Porto Alegre. O MPRS esteve em reunião com a empresa após o ocorrido, mas a falta de resolução dos problemas discutidos levou à decisão de ajuizar a ação.

O MP-RS argumenta que houve completa e notória ineficiência da CEEE Equatorial para restabelecer o fornecimento de energia elétrica de maneira adequada. O promotor Luciano Brasil destaca a demora e a falta de explicações adequadas, afirmando que a população, que regularmente paga suas contas de energia, foi desatendida em uma situação tão crítica.

Pedidos Liminares e Principais: Buscando Soluções Imediatas e Indenizações

A ação do MP-RS inclui pedidos liminares e principais. Entre os liminares, destaca-se a apresentação da lista de consumidores lesados, a religação do fornecimento de energia elétrica em até 24 horas e a adoção de um procedimento simplificado de ressarcimento de danos, como eletrodomésticos, medicamentos e alimentos estragados. Já os pedidos principais abrangem diversas categorias de indenização, incluindo danos materiais individuais, danos morais coletivos e dano social, buscando compensar os impactos na qualidade de vida das vítimas.

A ação coletiva do MP-RS reflete a indignação diante da situação caótica vivida pelos consumidores após os temporais. Além de buscar ressarcimentos, a iniciativa visa responsabilizar a empresa pela falha no fornecimento de energia elétrica e garantir medidas imediatas para minimizar os prejuízos enfrentados pela população. Resta agora aguardar as decisões judiciais que, segundo o procurador-geral de Justiça, Alexandre Saltz, atendem às demandas da sociedade gaúcha, buscando cessar a ilegalidade e proporcionar compensações justas às vítimas.

Gostou da matéria? Siga a gente no FacebookInstagram e Twitter, e fique por dentro das notícias de porto Alegre.

Magdalena Schneider

Magdalena Schneider

Bacharel em Psicologia pela Faculdade IENH; especialista em Saúde Mental e Atenção Psicossocial pela Universidade Estácio de Sá.
Natural de Dois Irmãos / RS, sempre quis morar em Porto Alegre, e em 2020 realizou esse desejo. Há três anos vem desbravando a capital gaúcha e compartilhando aqui suas experiências.

Artigos: 946

Deixe um comentário

Descubra mais sobre Curtindo Porto Alegre

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading