CUIDADO: Marca de água mineral CONTAMINADA é vendida em Porto Alegre

Na última quarta-feira, a Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre tomou uma decisão drástica em resposta à descoberta de uma marca de água mineral contaminada.

O processo de captação e envase da água da marca Fontes de Belém foi suspenso, com base nos resultados insatisfatórios apresentados em amostras do produto.

Esta ação foi motivada por um “risco iminente à saúde pública”, conforme constatado pelas análises.

Fontes de Belém é a marca de água mineral contaminada

No coração da questão está a qualidade duvidosa do produto. As amostras analisadas, pertencentes ao lote Dia 25, fabricado em 25 de maio de 2023 e com validade até 9 de julho de 2023, apresentaram desacordo com os padrões legais.

Foram encontrados coliformes totais, o micro-organismo Pseudomonas aeruginosa e matérias-estranhas como fragmentos de inseto, plásticos, tecido vegetal e partículas amorfas.

Ao ser informada sobre a suspensão, a empresa recebeu um prazo de 24 horas para apresentar um resultado satisfatório de qualidade dos lotes já distribuídos ao comércio.

No entanto, sem comprovação adequada de qualidade para consumo humano da água já distribuída, a empresa agora tem o dever de providenciar o recolhimento desses lotes, com comprovação documentada à Vigilância em Saúde.

Posicionamento da Vigilância em Alimentos

Nayara Poleto, chefe da equipe de Vigilância em Alimentos, frisou a importância desta medida. A captação e o envase da água apenas serão retomados após a adoção de medidas corretivas por parte da empresa responsável.

Entre as ações necessárias, estão a higienização de equipamentos e instalações, a desinsetização realizada por uma empresa especializada e legalizada em órgãos sanitários na área de envase, a proteção eficiente contra o acesso de vetores na área de envase, e a higienização e manutenção da canalização de condução da água da captação.

Para retomar a produção, além de adotar essas medidas, a empresa terá que apresentar laudos satisfatórios para qualidade da água. Uma vistoria da Vigilância de Alimentos será realizada antes da eventual liberação de funcionamento.

Caso algum consumidor tenha adquirido água da marca Fontes de Belém, a prefeitura de Porto Alegre recomenda que se faça a notificação pelo serviço 156.

Posição da Fontes de Belém

A empresa Fontes de Belém ainda não se posicionou publicamente sobre o problema. A preocupação com a saúde pública levou à ação imediata e rigorosa por parte das autoridades de saúde de Porto Alegre.

O caso sublinha a necessidade de vigilância constante sobre a qualidade dos alimentos e bebidas consumidos pela população. A suspensão da marca Fontes de Belém é um lembrete crítico de que a qualidade e a segurança do consumo não podem ser comprometidas.

Leia também: Incêndio em Porto Alegre afeta linhas de ônibus na Zona Sul.

Gostou da matéria? Siga a gente no FacebookInstagram e Twitter, e fique por dentro das notícias de porto Alegre.

Priscilla Kinast

Priscilla Kinast

Priscilla Kinast é redatora de web sites há cerca de 8 anos, tendo ao todo 15 anos de experiência com produção de conteúdo para a internet. Graduada em Administração de Empresas (Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre), encontrou sua verdadeira paixão na administração de websites.

Devido sua experiência com redação de conteúdo, obteve registro profissional como jornalista pelo Ministério do Trabalho (Registro Profissional: 0020361/RS).

É porto-alegrense raiz, nascida e criada na zona norte da cidade, mas muito apaixonada pela zona sul e pela orla do Guaíba. Ama a cidade e está sempre em busca de trazer mais informações que possam ajudar seus conterrâneos a curtirem mais o que Porto Alegre tem para oferecer!

Artigos: 432

Deixe um comentário

Descubra mais sobre Curtindo PoA

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading