Privatização da Carris em Porto Alegre: Horários de Ônibus vão mudar?

O edital de privatização da Carris garantiu a manutenção do emprego de 718 servidores durante os primeiros 12 meses.

Em uma cerimônia realizada no Centro Administrativo Municipal, no Centro Histórico de Porto Alegre, a prefeitura oficializou a privatização da Carris, marcando uma mudança significativa no cenário do transporte coletivo na capital gaúcha. O prefeito Sebastião Melo ressaltou os desafios enfrentados pelo sistema nos últimos anos, especialmente durante a pandemia, e destacou a necessidade de medidas corajosas para revitalizar o setor.

Prefeito destaca a fragilidade do sistema de transporte coletivo

Melo enfatizou que o sistema de transporte coletivo estava enfrentando dificuldades nos últimos anos, agravadas por mudanças no cenário. A pandemia, segundo ele, evidenciou ainda mais a fragilidade do sistema, que viu uma queda drástica no número de passageiros. Antes da pandemia, eram transportados 900 mil passageiros por dia, número que caiu para 200 a 250 mil durante o período mais crítico. Atualmente, a quantidade está em torno de 700 mil, com 120 mil usuários utilizando as linhas da Carris.

Durante seu discurso, o prefeito Melo abordou as dificuldades financeiras enfrentadas pela Carris, destacando a necessidade de enfrentar questões delicadas. Ele mencionou a questão dos cobradores, ressaltando o respeito a esses trabalhadores, mas indicando que a continuidade interferiria nos custos operacionais. Também falou sobre o subsídio de dinheiro público, destacando que sem o aporte, a passagem custaria R$ 6,80, em vez dos R$ 4,80 atuais.

Compromissos da Nova Gestão após a Privatização da Carris

Apesar da transferência do controle empresarial e acionário para a iniciativa privada, a Carris continuará sendo fiscalizada e regulada pelo setor público, através da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana e da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC).

O novo diretor-presidente da Carris, Leonel David Bortoncello, ressaltou a prioridade de retomar a confiabilidade no serviço, assegurando qualidade, cumprimento de horários e a operação dos novos ônibus com ar-condicionado adquiridos com um investimento inicial de R$ 60 milhões.

O edital de privatização da Carris garantiu a manutenção do vínculo empregatício para 718 servidores durante os primeiros 12 meses após a assinatura do contrato. Além disso, 177 cobradores não podem ser demitidos pelo mesmo período. Assim, aproximadamente 80% dos trabalhadores terão estabilidade garantida por pelo menos um ano na nova gestão privada.

Por fim, vale ressaltar que os horários de ônibus não devem sofrer alteração. Sendo assim, a população pode ficar tranquila, que o seu horário de ônibus vai continuar o mesmo. A expectativa é de que as mudanças proporcionem uma reviravolta positiva para a Carris, proporcionando melhorias significativas na qualidade do serviço oferecido aos mais de 120 mil passageiros que utilizam suas linhas diariamente.

Gostou da matéria? Siga a gente no FacebookInstagram e Twitter, e fique por dentro das notícias de porto Alegre.

Magdalena Schneider

Magdalena Schneider

Bacharel em Psicologia pela Faculdade IENH; especialista em Saúde Mental e Atenção Psicossocial pela Universidade Estácio de Sá.
Natural de Dois Irmãos / RS, sempre quis morar em Porto Alegre, e em 2020 realizou esse desejo. Há três anos vem desbravando a capital gaúcha e compartilhando aqui suas experiências.

Artigos: 1076

Deixe um comentário

Descubra mais sobre Curtindo Porto Alegre

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading