Como será o outono no Rio Grande do Sul?

A previsão é de que o volume total de chuva durante o outono seja um pouco superior aos valores mensais de referência divulgados pelo Inmet.

O outono, que teve início nesta quarta-feira (20) às 0h6min, marca a transição do verão para o inverno. Neste ano, devido à proximidade do fim do El Niño, a estação deverá ser caracterizada por chuva e umidade acima da média. A previsão também indica muita variação de temperatura ao longo dos dias, com mínimas mais altas que o habitual.

O El Niño, considerado um dos mais fortes até hoje, continuará influenciando o clima do Estado até metade do outono, apesar de ter começado a perder intensidade em fevereiro. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) aponta chances de transição para o período de neutralidade – sem influência do El Niño ou do La Niña – no trimestre de abril, maio e junho.

De acordo com Lucas Fagundes, meteorologista da Sala de Situação do Rio Grande do Sul, algumas características do fenômeno ainda serão perceptíveis:

  • Em abril, espera-se chuva acima da média, principalmente na metade norte do Estado, enquanto na metade sul a expectativa é de menos chuva que o normal.
  • Maio deve ser marcado por mais frentes frias passando pelo oceano, ocasionando chuvas acima da média em várias regiões.
  • Já em junho, a condição tende a se tornar mais neutra.

Em Porto Alegre, por exemplo, as médias climatológicas para os meses de abril, maio e junho variam entre 114,4 mm e 130,4 mm de chuva. Já em Passo Fundo, no norte do Estado, essas médias podem ultrapassar os 150 mm ao mês. A previsão é de que o volume total de chuva durante o outono seja um pouco superior aos valores mensais de referência divulgados pelo Inmet.

Segundo Julio Marques, professor de climatologia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), a área de alta pressão atmosférica que se desenvolve nas regiões polares da Terra, conhecida como alta polar, é o principal fator para o aumento no número de frentes frias previstas para este outono. Esses sistemas devem ser responsáveis pelos dias chuvosos e pela variação de temperatura.

Marques prevê que, devido à nebulosidade, as máximas em Porto Alegre podem ficar até 2°C mais baixas que o habitual. As médias de temperatura mínima para os meses de abril, maio e junho na capital gaúcha são de 16,8°C, 13,6°C e 11,3°C, respectivamente. Já as médias de temperatura máxima variam entre 26,4°C e 20,3°C ao longo do outono.

Embora não descarte a possibilidade de ocorrência de ondas de calor e tempestades, fenômenos associados ao El Niño e às mudanças climáticas, Marques acredita que as chances são menores neste outono. As ondas de calor, geralmente associadas ao fluxo de calor do centro do país, podem acontecer, mas com menos intensidade e duração. Quanto aos eventos extremos de chuva, embora sempre exista a possibilidade, a probabilidade é menor. Em contrapartida, episódios de chuva não tão intensa, mas contínua, também podem ocorrer, o que é uma preocupação.

Gostou da matéria? Siga a gente no FacebookInstagram e Twitter, e fique por dentro das notícias de porto Alegre.

Priscilla Kinast

Priscilla Kinast

Priscilla Kinast é redatora de web sites há cerca de 8 anos, tendo ao todo 15 anos de experiência com produção de conteúdo para a internet. Graduada em Administração de Empresas (Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre), encontrou sua verdadeira paixão na administração de websites.

Devido sua experiência com redação de conteúdo, obteve registro profissional como jornalista pelo Ministério do Trabalho (Registro Profissional: 0020361/RS).

É porto-alegrense raiz, nascida e criada na zona norte da cidade, mas muito apaixonada pela zona sul e pela orla do Guaíba. Ama a cidade e está sempre em busca de trazer mais informações que possam ajudar seus conterrâneos a curtirem mais o que Porto Alegre tem para oferecer!

Artigos: 435

Descubra mais sobre Curtindo Porto Alegre

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading