Proliferação da Dengue deixa Porto Alegre em alerta

O enfrentamento à dengue em Porto Alegre exige estratégias de monitoramento e a colaboração da comunidade.

O retorno do verão trouxe consigo não apenas altas temperaturas, mas também preocupações relacionadas à proliferação do mosquito Aedes aegypti, vetor de doenças como dengue, zika e chikungunya. Em Porto Alegre, a situação se intensificou nas últimas semanas, com a maioria dos bairros enfrentando um nível crítico de infestação. Neste artigo, exploraremos as recentes avaliações do Monitoramento Integrado do Aedes (MI-Aedes), as estratégias de combate empregadas e o papel crucial da comunidade nesse cenário desafiador.

Infestação nos Bairros: Uma Realidade Preocupante

Dos 46 bairros sob monitoramento constante em Porto Alegre, surpreendentes 39 apresentaram um nível crítico de infestação do mosquito Aedes aegypti na última semana de janeiro de 2024, representando 84,7% do total. A situação acende o alerta para a necessidade de ações urgentes no combate ao vetor. Quatro bairros estão em estado de alerta, dois possuem infestação moderada, e apenas um desfruta de um quadro considerado satisfatório.

Estratégias de Monitoramento e Combate

A Vigilância em Saúde de Porto Alegre utiliza o MI-Aedes, um sistema que semanalmente classifica os bairros com base em indicadores provenientes de 910 armadilhas distribuídas pela cidade. Essas armadilhas capturam fêmeas adultas do mosquito, permitindo avaliações precisas sobre a infestação. Esses dados, combinados com registros de casos confirmados de dengue, formam mapas que orientam as atividades dos agentes de endemia.

Os profissionais da Vigilância em Saúde desempenham um papel fundamental ao percorrerem os bairros, visitarem residências e identificarem locais propícios à proliferação do mosquito. A diretora da Vigilância em Saúde de Porto Alegre, Evelise Tarouco, destaca a importância de permitir o acesso dos agentes aos domicílios, pois 75% dos criadouros estão em espaços pequenos dentro das casas.

Desafios Climáticos e Expectativas para 2024

O aumento significativo nos casos de dengue em janeiro de 2024, em comparação com o mesmo período do ano anterior, era esperado, segundo Evelise Tarouco. O índice elevado de infestação é atribuído às condições climáticas desfavoráveis ao longo de 2023, incluindo um verão chuvoso. Tarouco ressalta que, embora preocupante, essa elevação já era prevista para o período.

A participação ativa da comunidade é crucial no enfrentamento à dengue. Evelise Tarouco enfatiza a necessidade de os moradores realizarem cuidados semanais em seus ambientes, evitando o acúmulo de lixo e eliminando possíveis criadouros do mosquito. Ela destaca que a reprodução do Aedes aegypti tem um ciclo de uma semana, tornando essas medidas periódicas essenciais.

Panorama dos Bairros na Semana de 21 a 27 de Janeiro

  • Crítico:
    • Mário Quintana
    • Passo das Pedras
    • Jardim Leopoldina
    • Vila Ipiranga
    • Jardim Sabará
    • Bom Jesus
    • Petrópolis
    • Auxiliadora
    • Azenha
    • Medianeira
    • Teresópolis
    • Santa Tereza
    • Sarandi
    • Santa Rosa e Lima
    • Rubem Berta
    • Parque Santa Fé
    • Costa e Silva
    • Chácara das Pedras
    • Vila Jardim
    • Jardim Carvalho
    • Santana
    • Vila Nova
    • Partenon
    • Jardim do Salso
    • Higienópolis
    • Menino Deus
    • Nonoai
    • Cavalhada
    • Glória
    • Tristeza
    • Jardim Itu
    • Passo da Areia
    • Santo Antônio
    • Cidade Baixa
    • Montserrat
    • Três Figueiras
    • Jardim Europa
    • Jardim Lindóia
    • Aparício Borges
  • Alerta:
    • Camaquã
    • Boa Vista
    • Vila João Pessoa
    • Vila São José
  • Moderado:
    • Jardim Botânico
    • Bela Vista
  • Satisfatório:
    • São Sebastião

O enfrentamento à dengue em Porto Alegre exige uma abordagem multifacetada, envolvendo tanto estratégias de monitoramento quanto a colaboração ativa da comunidade. A elevação nos casos de infestação, embora preocupante, é compreendida à luz das condições climáticas desfavoráveis. Com o comprometimento dos moradores, aliado às ações coordenadas da Vigilância em Saúde, é possível mitigar os riscos e trabalhar na construção de uma cidade mais resistente a essas doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. A prevenção e o cuidado contínuo são essenciais, não apenas para combater a dengue, mas para garantir a saúde e o bem-estar da comunidade como um todo.

Gostou da matéria? Siga a gente no FacebookInstagram e Twitter, e fique por dentro das notícias de porto Alegre.

Magdalena Schneider

Magdalena Schneider

Bacharel em Psicologia pela Faculdade IENH; especialista em Saúde Mental e Atenção Psicossocial pela Universidade Estácio de Sá.
Natural de Dois Irmãos / RS, sempre quis morar em Porto Alegre, e em 2020 realizou esse desejo. Há três anos vem desbravando a capital gaúcha e compartilhando aqui suas experiências.

Artigos: 1076

Deixe um comentário

Descubra mais sobre Curtindo Porto Alegre

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading