Reciclagem de Porto Alegre: Do ORGULHO à VERGONHA

Infelizmente, a reciclagem de Porto Alegre é um motivo de vergonha. Apenas 3 a cada 100 quilos de lixo é reaproveitado de alguma maneira.

A capital gaúcha foi a primeira cidade brasileira a implementar a coleta seletiva, em 1990. Na época, a reciclagem de Porto Alegre foi considerada pioneira e transformou a cidade, deixando as ruas mais limpas e contribuindo para a preservação do meio ambiente.

Com esforço dos órgãos públicos e campanhas de educação ambiental, a população passou a separar os resíduos corretamente. Os lixões foram trocados pelo aterro sanitário e os catadores foram incluídos no processo de separação, contribuindo para a geração de emprego e renda.

Do orgulho à vergonha

No entanto, nos últimos anos, a coleta seletiva em Porto Alegre vem enfrentando desafios. O índice de reciclagem da cidade é baixo, em torno de 3,2%. Isso significa que, de cada 100 quilos de resíduos descartados, apenas 3,2 quilos são reciclados.

Os dados constam no Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PMGIRS), elaborado em 2013 e com vigência até 2033. O Plano conta com 22 ações a serem implementadas ou continuadas em quatro etapas: até 2024, 2027, 2030 e 2033.

Para mudar o cenário, o Plano prevê, entre outras ações, a contratação direta de cooperativas de catadores para realizar a coleta seletiva em uma parte da cidade. A elaboração do projeto básico e da planilha de composição de custos será no ano que vem, já a contratação está prevista para a segunda etapa, até 2027.

O PMGIRS também prevê a criação de um estudo de viabilidade para a concessão de incentivo econômico ao cidadão que aderir aos programas de segregação de resíduos. A ideia é que, por meio de um cartão de crédito, os cidadãos recebam descontos em compras ou serviços públicos em troca da separação de seus resíduos.

Catadores desaprovam projetos da Prefeitura para a reciclagem de Porto Alegre

A Prefeitura de Porto Alegre apresentou quatro projetos de lei que propõem a mudança do modelo de coleta seletiva da cidade. A proposta é que a responsabilidade pela coleta, triagem e destinação correta dos resíduos gerados pelos produtos seja transferida dos órgãos públicos para os fabricantes e importadores.

A mudança no modelo de coleta seletiva é criticada pelos catadores, que são responsáveis pela triagem de recicláveis na cidade. Eles temem perder a já escassa fonte de renda obtida com essa atividade.

Os catadores argumentam que a proposta da Prefeitura não inclui a participação deles no novo modelo de coleta seletiva. Eles afirmam que a sua inclusão é essencial para garantir a eficiência do serviço e a sustentabilidade do meio ambiente.

A Prefeitura, por sua vez, defende que a mudança no modelo de coleta seletiva é necessária para melhorar a eficiência do serviço e reduzir os custos. O órgão afirma que a participação dos catadores no novo modelo será analisada de forma posterior.

Privatização do lixo

A prefeitura de Porto Alegre também estuda desde 2021 a possibilidade de concessão total da gestão de resíduos, onde uma única empresa privada gerencie de todos os contratos relacionados com a coleta, triagem, transporte e reciclagem. Atualmente, há entre 70 e 80 contratos.

A concessão total da gestão de resíduos é uma medida que pode ser eficaz para melhorar o índice de reciclagem da cidade. No entanto, é importante que a empresa contratada seja capacitada e tenha experiência na área, para que o serviço seja prestado de forma eficiente e responsável.

Enquanto as ações previstas no Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos não são implementadas, a reciclagem em Porto Alegre continuará sendo uma vergonha. A cidade precisa urgentemente tomar medidas para aumentar o índice de reciclagem e reduzir o volume de resíduos que vão para os aterros sanitários.

Algumas medidas que podem melhorar a reciclagem em Porto Alegre

  • Educação ambiental: É importante conscientizar a população sobre a importância da reciclagem e como separar corretamente os resíduos.
  • Incentivo econômico: A concessão de incentivos econômicos aos cidadãos que reciclarem pode ser uma forma de estimular a prática.
  • Melhoria da infraestrutura: A cidade precisa investir na melhoria da infraestrutura para coleta seletiva, como a instalação de mais pontos de coleta e a ampliação da cobertura da coleta seletiva.

A reciclagem é uma prática importante para a preservação do meio ambiente. Ao reciclar, contribuímos para a redução da poluição, a preservação dos recursos naturais e a criação de empregos.

Gostou da matéria? Siga a gente no FacebookInstagram e Twitter, e fique por dentro das notícias de porto Alegre.

Priscilla Kinast

Priscilla Kinast

Priscilla Kinast é redatora de web sites há cerca de 8 anos, tendo ao todo 15 anos de experiência com produção de conteúdo para a internet. Graduada em Administração de Empresas (Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre), encontrou sua verdadeira paixão na administração de websites.

Devido sua experiência com redação de conteúdo, obteve registro profissional como jornalista pelo Ministério do Trabalho (Registro Profissional: 0020361/RS).

É porto-alegrense raiz, nascida e criada na zona norte da cidade, mas muito apaixonada pela zona sul e pela orla do Guaíba. Ama a cidade e está sempre em busca de trazer mais informações que possam ajudar seus conterrâneos a curtirem mais o que Porto Alegre tem para oferecer!

Artigos: 439

Deixe um comentário

Descubra mais sobre Curtindo Porto Alegre

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading