Starbucks: Lojas são despejadas em Porto Alegre; A marca faliu?

A situação da Starbucks no Brasil está longe de ser tranquila. Com o pedido de recuperação judicial da controladora, a SouthRock, e o fechamento de diversas lojas, o cenário para a famosa rede de cafeterias norte-americana tornou-se complexo. Neste artigo, vamos explorar os detalhes dessa crise bilionária, os efeitos nos planos de expansão e as possíveis soluções para a Starbucks no país.

O Pedido de Recuperação Judicial

A SouthRock Capital, operadora da Starbucks no Brasil, solicitou recuperação judicial, enfrentando uma crise econômico-financeira. A pandemia, a economia brasileira e a dificuldade de obtenção de capital de giro foram citadas como principais causas. O endividamento da empresa chega a R$ 1,8 bilhão, e a recuperação judicial visa evitar o fechamento das portas.

Desde o pedido de recuperação, pelo menos 43 lojas da Starbucks foram fechadas no Brasil. O fechamento inclui unidades icônicas, como a da Alameda Santos, em São Paulo. O número total de lojas ativas reduziu-se de 187 para 144, gerando incertezas sobre o futuro da marca no país.

A SouthRock perdeu a licença da Starbucks, conforme notificação recebida em outubro de 2022. A empresa, no entanto, contesta a validade da notificação, dando início a uma batalha jurídica. O documento menciona investimentos milionários e a impossibilidade de honrar compromissos financeiros sem a proteção da recuperação judicial.

A Starbucks Continuará no Brasil?

A crise afetou não apenas as lojas existentes, mas também os planos de expansão da Starbucks. O Shopping Praia de Belas, em Porto Alegre, não receberá mais uma unidade da marca. O contrato está sendo cancelado, e uma nova operação está sendo buscada para o local, impactando diretamente os planos de inauguração.

Além disso, aqui no RS, há ações de despejo ajuizaddas pelo Barra Shopping Sul e pelo Park Shopping Canoas, devido ao atraso no aluguel. E aqui, vale destacar ainda, que houve o encerramento da operação da loja que funcionava no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre.

A incerteza paira sobre a permanência da Starbucks no Brasil. Especialistas apontam três possíveis cenários: acerto do contrato com a SouthRock, fechamento de um novo contrato de licença com outra empresa ou a própria Starbucks assumir as operações no país. A última opção é considerada a mais provável, dado o sucesso da marca no mercado brasileiro.

A Estratégia de Recuperação

O pedido de recuperação judicial visa dar à SouthRock um prazo para negociar com credores e manter as operações. O processo congela as dívidas por 180 dias, permitindo à empresa respirar enquanto busca soluções para sua crise financeira. No entanto, implica a suspensão de pagamentos a credores e fornecedores.

A Starbucks no Brasil enfrenta um momento desafiador, marcado por fechamentos, perda de licença e uma batalha judicial. O sucesso da marca no país torna improvável seu encerramento, mas o desfecho da situação dependerá das negociações em curso. A recuperação judicial é uma estratégia para evitar o colapso, e os próximos meses revelarão os rumos dessa icônica rede de cafeterias no cenário brasileiro.

VEJA TAMBÉM:

Gostou da matéria? Siga a gente no FacebookInstagram e Twitter, e fique por dentro das notícias de porto Alegre.

Magdalena Schneider

Magdalena Schneider

Bacharel em Psicologia pela Faculdade IENH; especialista em Saúde Mental e Atenção Psicossocial pela Universidade Estácio de Sá.
Natural de Dois Irmãos / RS, sempre quis morar em Porto Alegre, e em 2020 realizou esse desejo. Há três anos vem desbravando a capital gaúcha e compartilhando aqui suas experiências.

Artigos: 979

Deixe um comentário

Descubra mais sobre Curtindo Porto Alegre

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading